Skip to content
maio 18, 2011 / euqueromasnaopreciso

É preciso ser CHIC!

A chiqueza, minha gente, é luxo para poucos.

Texto maravilhoso escrito pela Gloria Kalil sobre o que é realmente ser phyno.

“Nunca o termo “chique” foi tão usado para qualificar pessoas como nos dias de hoje. A verdade é que ninguém é chique por decreto. E algumas boas coisas da vida, infelizmente, não estão à venda. Elegância é uma delas.


Assim, para ser chique é preciso muito mais que um guarda-roupa ou closet recheado de grifes famosas e importadas. Muito mais que um belo carro Italiano.

O que faz uma pessoa chique, não é o que essa pessoa tem, mas a forma como ela se comporta perante a vida.

Chique mesmo é quem fala baixo. Quem não procura chamar atenção com suas risadas muito altas, nem por seus imensos decotes e nem precisa contar vantagens, mesmo quando estas são verdadeiras.

Chique é atrair, mesmo sem querer, todos os olhares, porque se tem brilho próprio.

Chique mesmo é ser discreto, não fazer perguntas ou insinuações inoportunas, nem procurar saber o que não é da sua conta.

Chique mesmo é parar na faixa de pedestre. É evitar se deixar levar pela mania nacional de jogar lixo na rua.

Chique mesmo é dar bom dia ao porteiro do seu prédio e às pessoas que estão no elevador. É lembrar do aniversário dos amigos.

Chique mesmo é não se exceder jamais! Nem na bebida, nem na comida, nem na maneira de se vestir.

Chique mesmo é olhar nos olhos do seu interlocutor. É “desligar o radar” quando estiverem sentados à mesa do restaurante, e prestar verdadeira atenção a sua companhia.

Chique mesmo é honrar a sua palavra, ser grato a quem o ajuda, correto com quem você se relaciona e honesto nos seus negócios.

Chique mesmo é não fazer a menor questão de aparecer, ainda que você seja o homenageado da noite!

Mas para ser chique, chique mesmo, você tem, antes de tudo, de se lembrar sempre de o quão breve é a vida. Portanto, não gaste sua energia com o que não tem valor, não desperdice as pessoas interessantes com quem se encontrar e não aceite, em hipótese alguma, fazer qualquer coisa que não te faça bem.

Lembre-se: o diabo parece chique, mas o inferno não tem qualquer glamour! Porque, no final das contas, chique mesmo é ser feliz!” – Gloria Kalil
Por @gegeo

fevereiro 13, 2011 / Ana Patrícia Lima

MAC – Mais algumas compras!

Toda menina pomposa adora um make. E toda roda de meninas pomposas onde surge o assunto maquiagem é quase obrigatória a presença do nome MAC. Aí não faltam elogios e suspirinhos cheios de frescura só para dizer que se usa MAC e que o pó da MAC é divino, e que a sombra MAC é perfeita, e que o batom MAC é o único que deixa a boca linda. Claro que não é bem assim que as coisas funcionam. Existem também outras marcas de maquiagem que deixam sua pele com aparência da de bebê. É claro que todas podemos ficar  lindas também com AVON. Eu sempre fiquei linda com AVON, NATURA E O BOTICÁRIO. Nunca fiquei doente querendo ter nada da MAC. Até já entrei numa loja da MAC aqui em São Paulo e quis comprar um corretivo, mas o preço de um produto me deixou comprar dois produtos do Boticário. Desde então, vivia bem feliz com meu corretivo mara e meu pó mara-mara do Boticário. O descarrilhar da carruagem aconteceu um mês atrás. Minha irmã me aparece com sua encomenda feita à minha cunhada que andava por Buenos Aires. Comprou maravilhas MAC por precinho AVON. Isso me fez coçar a cabeça e dar asas aos sonhos do meu bichinho de consumo, aquela coisa que fica dentro da gente querendo outras coisas. E para o sonho do meu bichinho ir mais alto ainda, tinha um amigo meu que estava voltando dos EUA e vinha ficar uns dias na minha casa. Tudo o que a coceirinha do consumo quer:  uma ótima desculpa para ter coisas. O resultado acho que não é difícil de prever. Kit quase completo para make básico: rímel, prime, corretivo e base.

Realmente comprar fora é muito barato. Paguei R$ 150,00 por tudo. Aqui um corretivinho é mais de R$ 100,00. Resolvi começar a me maquiar com meu novo desejo de consumo realizado, utilizando todos os produtos MAC, para sentir o que era então estar maquiada de MAC. E, de todas esses produtinhos aí, o único que realmente fez TODA a diferença foi o rímel. Todos os outros são comuns, iguais ao outros. Pelo menos foi o que eu achei. Mas o rímel deixou meu cílios bem separadinhos, do jeito que eu acho lindo! E dá um destaque realmente todo especial para os olhos. AMEI!

E depois que comprei esse negócio, vem a @gegeo e me diz que a maior concorrente de make considerada pela própria MAC é a Contém 1G. Me dissesse antes, néeeee? rs.

 

por @anapabali

dezembro 26, 2010 / euqueromasnaopreciso

Você pensa que é bonito ser feio?

“Quando uma mulher resolve cortar o cabelo como você cortou, é porque quer mudar de vida.”

Isso foi o que um homem maduro e inteligente me falou quando se deparou com o meu corte de cabelo ‘joãozinho’.

Tinha tudo pra dar errado: meu cabelo tem fio grosso; é ondulado; muito preto e com uns fios brancos aqui e ali que, desde os 15 anos, me perseguem (nem tantos, mas sou mulher e naturalmente dramática); tinta eu não uso mais enquanto não for realmente necessário; todos gostam do meu cabelo maior e com os cachos de sempre; não estou no melhor clima de fim de ano, mas estou a fim de entrar no melhor clima de recomeço.

Quando resolvi cortar, não pensei nos outros e nem no que iam falar de bom depois do fato consumado. Simplesmente cortei e já sabia que iria ser criticada. Até meu cabeleireiro disse que não iria ficar bom.

Fiz um ‘teaser’ com a foto da Ana Paula Arósio, que foi a minha referência para o visual.
Postei uma montagem no meu perfil do Facebook e tive feed back com várias opiniões dinstintas. No fim, o que importou foi a minha: eu queria cortar; eu queria mudar; eu queria me reinventar mantendo a minha essência como sempre fiz e quero continuar a fazer.

Enfim, cortei e acertei o resto com meu cabeleireiro que disse não ia ficar bom. Passei confiança e ele mandou ver.

Mesmo que ficasse feio aos olhos dos outros, queria ver uma nova Geórgia no espelho. Reaprender a lidar com aquele novo cabelo difícil. Comprar pomada e, talvez, mudar de xampu. Mudar o penteado de lado e usar um hidratante de outra marca. Comprar acessórios diferentes do que estão na gaveta. Usar mais vestidos e saias. Novas cores, novos sapatos e novos esmaltes.

Redescobrir a beleza no feio. Fora da zona de conforto.

Eu mudei o corte, porque, de cara mesmo, queria mudar a Cara de passado e ter a minha cara de futuro me forçando a recomeçar agora. No presente.

Inconscientemente, quando uma mulher quer mudar de vida, o primeiro lugar que ela mexe é na cabeça e isso começa pelos cabelos.

Nunca vou esquecer o que aquele homem me disse. Isso é positivo. Por isso não estou nem aí se alguém achou horrível. Porque o único fato é que está feito, não tem volta e tenho a obrigação de aprender a lidar com o novo. Independente da opinião dos outros, tenho que buscar meios de fazer ficar bonito, me olhar no espelho e ver uma nova pessoa: confiante e consciente do que está ali.

E, sim. Eu PRECISEI e QUIS cortar.

Feliz Hábitos Novos, minha gente brasileira.

bjs

@gegeo

setembro 1, 2010 / euqueromasnaopreciso

Óculos de grau: eu me rendo de vez!

Pois é… A idade quando bate… vem tudo, inclusive a necessidade de enxergar melhor com um grauzinho a mais nas lentes.

A necessidade de usar óculos não existe por causa das lentes de contato, mas se a senhorita for como eu, desastrada, descompesada e esquecida, acabaria secando as lentes, rasgando-as com a unha ou perdendo as infelizes que custam os olhos da sua cara.

OMG! O que fazer? Ficar feia e com cara de vovó?

Pára com isso, mulher! Usar óculos não precisa ser um MAL necessário. Faz tempo que existem soluções em armações para cada tipo de rosto; largura e tamanho de nariz e profundidade das arestas. Basta conhecer a anatomia de seu rosto.

A coisa boa é que, para quem não tem frescura e se permite certas ousadias e luxos, os óculos de grau não ficam somente para o descanso da visão e nem para que você, “cegueta” mesmo, volte a conseguir enxergar o nome da sua rua na plaquinha da esquina.

Eu mesma já usava óculos, mas não usava (se é que vocês me entendem). Agora o bicho pegou e tenho mesmo que assumir que estou cegueta e PRECISO de ajuda oftalmológica, mas NÃO QUERO a mesma armação, apesar de ser uma gracinha meu NX. O problema maior é que ele tem a armação pesada e me deixa impaciente.

Como sou super legal, fica a dica:

Se for pra trabalhar, ler ou estudar, procure armações leves, largas, finas e que não sejam daquele acetado grosso e estreitinho, quase sem espaço para as lentes, que é o que interessa, né, minha filha!

Isso vale também para as armações de metal que mais parecem um alteres (estilo Oakley, sabe…). Esses óculos são pesados e uma hora ou outra você vai colocá-los na gaveta. Se for pra fazer um charme e dar uma voltinha por aí dando uma de perua louca ou de descolada, fique à vonts. Dá pra aguentar esses modelitos.

Existem armações super legais e de qualidade, tanto para machos quanto para fêmeas, que unem estilo e função sem ter que dar uma de Maria Gabi, Gabrielaaa com suas 1001 armações (adooooro a GabriHerpes Amarela, do @paniconatv rs).

Eu aprendi e comprei uma assim:

 Armação nova!

Estilo mulherzinha: lindo, leve e solto.

Só falta o oftalmo... rs

Não gosto dessas peruices, mas esse tem seu desconto

PLANEJAMENTO: como tudo o que pretendo fazer com o meu precioso $$ suado precisa de prévia avaliação de prós e contras, então pesquisei, analisei e cheguei à armação perfeita pra justificar o rombo e manter os óculos no rosto (o que normalmente não conseguia antes por mais de 50 minutos).

Dei uma fuçada na net e encontrei umas coisas. Você pode ter uma ideia de sua armação perfeita aqui. Tem todas as marcas mais legais e modelos atualizados. Adorei os preços também, pois uma armação de boa qualidade por aqui custa os olhos da cara.

Quando for comprar óculos/armações pela internet, leve em conta que você não vai poder experimentá-los, por isso tenha em mãos todas as suas medidas pra não fazer besteira, criatura!

Sobre as lentes, nem precisa falar, né? Dê preferência para as anti-reflexo, que além de garantir que a máxima quantidade de luz alcance o olho com qualidade (sem reflexo=melhor contraste e detalhe), permite que seus olhos sejam vistos quando estiver maquiadinha e fofa, sem falar no benefício de não te deixar com a impressão de que está vendo o mundo de dentro de uma garrafa.

Aqui tem um aplicativo que te ajuda a ter uma ideia de como você pode saber suas medidas e mandar ver! E aqui tem um guia legal, com vídeo, que explica umas coisinhas sobre.

Boa sorte!

Por @gegeo

agosto 4, 2010 / euqueromasnaopreciso

O consumo nosso de cada dia!

Não sei se vocês percebem, mas é quase impossível ficarmos um dia sequer sem consumir alguma coisa. O consumo vai além de comprar só roupas ou acessórios. Consumimos, por exemplo, nossa comida, todo santo dia. Em alguns casos pré-consumimos, pois já temos comida em casa. Em outros casos precisamos ir a algum restaurante consumir o que nos sustenta e nos dá energia para luta diária. Na ida as esses lugares, podemos consumir chocolates, chicletes ou picolés. E depois podemos passar numa lojinha para comprar alguma coisa pra prender o cabelo, fofinha e barata. Afinal, não vai custar quaaase nada. Tem gente que aproveita a hora do almoço para comprar um cigarro e por aí vai. Já pensou em sair registrando tudo, absolutamente tudo o que você consome diariamente?

A ilustradora americana, Kate Bingaman-Burt, resolveu não só listar esse consumo, mas desenhar tudo o que consumia no seu dia. Publicava seus desenhos no blog Obsessive Consumption e em maio desse ano lançou um livro com o mesmo nome, com vários de seus desenhos! rs.

Uma excelente forma de transformar o consumo em arte, não!?

O Iphone fora dos planos. Tudo culpa de Steve Jobs! rs.

No seu site, Kate, fala um pouquinho a respeito do seu trabalho:

“Desde 5 de fevereiro de 2006, eu desenho tudo o que consumo diariamente. (O livro) ‘Consumo obsessivo’ representa uma seleção desses desenhos diários. Eu desenhei objetos do cotidiano: latas de Coca-cola, notas de post-it, produtos para lavar o vaso, itens que são comuns a todos. Coisas que interagimos mas que não nos damos conta. Eu amo documentar o mundo e colocar o meu toque pessoal em algo que é produzido de forma massificada. Faço um trabalho sobre o consumismo pessoal, economias de mercado, culpa, prazer, excesso, mais culpa, presentes, celebração, repetição, e a comunhão de todas essas experiências compartilhadas.”

Kate soube lidar com o consumo a ponto de transformá-lo em arte e também em investimento! rs. Ela ficou conhecida por seus dois grandes talentos: consumir e desenhar. rs. Há pouco tempo foi chamada pra fazer estampas de umas bolsas da Target, por conta de seus traços.

Consumo que deu frutos!

Para saber mais a respeito de Kate e seus desenhos acesse os links abaixo:

Comprar o livro: http://katebingamanburt.com/

Flickr: http://www.flickr.com/photos/kateconsumption/

Tumblr: http://theokbb.tumblr.com/

por @anapabali

julho 28, 2010 / euqueromasnaopreciso

Quem precisa de Café, Chocolate & Champagne?

@gegeo no ar e consumindo (baratinho) que nem uma louca nessas “férias” por tempo indeterminado.

E pra não sair por aí comprando coisas que não preciso e inUTILIDADES domésticas (como prática dona de casa que sou) fui me afogar no doce que não é qualquer docinho, bolinho ou fatia de padoca.

Imagine um minibolo servido em forminhas iguais àquelas dos docinhos das festinha de aniversário de criança, só quem em tamanho GG, pela referência. Esses são os cupcakes, invenção culinária inglesa e que tem esse nome porque seus ingredientes eram medidos em xícaras. Olha só isso, minha gente brasileira! ;O

Não dá vontade de guardar para a posteridade???... . ..

Olha só o que eu fiz com ele… tsc tsc tsc..

Mas eu não guardei... eu comi e eis aqui seus restos mortais depois de mim. ;D

...mas eu não guardei... comi e eis aqui os restos mortais depois de mim. ;D

Pois é, meu povo. Esse é (ou era) um Delicake dos muitos lindos e deliciosos outros delicakes que tem na Arandu, ali do Brooklin Novo, região da Berrini, em Sampa.

Cupcake tá na moda e é do empresário @eliasfreirejr que aproveitou a ideia dos bolinhos pra abrir a @DeliCakecupcake. A loja de doces e delícias mais criativa, em todos os sentidos, que já fui aqui em Sampa.

O preço? Quem se importa quando entra na loja? Esse é um exemplo real de como o comportamento de consumo tem tudo a ver com apresentação. O lugar é um espetáculo visual à parte e que torna o que seria um simples bolinho do tamanho de uma xícara em atração artística.

Atrai quem tem bom gosto e quer bater um papo em um lugar aconchegante, além de fugir uns minutinhos da realidade de um dia-a-dia de trabalho massante; atrai criativos e sem tempo de ir ao shopping comprar um presentinho embalado com delicadeza; ou simplesmente, atrai gulosinhos (como eu) que A-D-O-R-A se deliciar com arte comestível (ou não)!

Os bolinhos são tratados como jóias raras. Tanto que, quando lançam uma nova descoberta em forma de receita, expõem a delícia aberta e montada em uma pequena cúpula super delicada. Tudo é feito com muito carinho e não tem como não pagar o preço pelo visual do lugar, produtos e atendimento do @THIAGAOH e suas meninas.

Dura até um mês em exibição (ainda comestível!)

É de encher os olhos e seus ares de bom humor no meio da manhã ou da tarde, quando ataca aquele tédio.

Quem estiver em Sampa, vai lá. Vale a pena conferir. Por minha conta e sem comissão, recomendo: Rua Arandu, 154 Brooklin – SP

junho 22, 2010 / euqueromasnaopreciso

Debra Morgan work style

Quem assiste ou assistiu à série Dexter, já teve ter reparado nos looks da galera. Em sua grande maioria o gosto é duvidoso.

Tirando o próprio Dex (Michael C. Hall), personagem que deu nome e “vida” à série, que é o mais arrumadinho da turminha, uma personagem se destaca pelo seu estilo homenzinho-mulherzinhastyle, apesar de descompesanda: Debra Morgan (Jeniffer Carpenter).

Aquele Ray Ban Aviator que ela usa em suas externas é tudooooo de bom.

Ele é grande. Ele é lindo. Ele é muito clássico. Adoro esses imortais.

Jennifer Carpenter, no corpo e estilo da Debra Morgan.

Sonho de Aviator

Descobri qual era, procurei este mimo para comprar e, graças a Deus, não encontrei, senão teria adquirido este bem precioso (e caro!). E pra quem adorou e também ficou curiosa(o) pra saber, o modelo dele é RB8041 AVIATOR TITANIUM Color code: 001/M2.

Será que não é lindo de viver? Elegante? Moderno? Todo de bom???

AVIATOR TITANIUM Ray Ban

Cá pra nós… o revival daquele Ray Ban, década de 80 colorido, todo mundo quer usar, mas não combina com todo mundo.

Parei…

%d blogueiros gostam disto: